Rede de Drogaria reduz +50% os custos com delivery

case delivery drogaria
4 minutos para ler

É isso mesmo! Um dos nossos cliente até final de dezembro de 2019 possuía o delivery próprio. E próprio quando falamos é: 

  • Entregador como funcionário (nem preciso citar os custos envolvidos); 
  • Moto própria e algumas alugadas;
  • Seguro de acidentes no custo operacional; 
  • Combustível etc. 

E com tudo isso o serviço não era um dos melhores, apesar que funcionava, mas não era um dos melhores da cidade na percepção do cliente final. E isso incomodava e muito a diretoria.

Por que? 

Primeiro motivo é que a rede de drogaria não conseguia pagar algo próximo que um aplicativo de entrega paga.Nem sempre o entregador  estava motivado em fazer mais entregas gastando menos tempo por entrega.

Mesmo com o incentivo variável que é comum as drogarias adicionar para o motoboy, isso não era o suficiente para melhorar a qualidade do serviço na percepção do cliente.

E isso afetava muito na qualidade do serviço, esta rede de drogaria tinha 25 entregadores próprio.

Se você é dono de drogaria já sabe o custo mínimo operacional só com o piso salarial + os demais encargos que existe nessa categoria exigidos pela CLT.

E qual foi a solução? 

Você vai dizer terceirizou a operação. É quase isso!Só que vai um pouco mais além de simplesmente colocar uma empresa para realizar o serviço de entrega. A rede contratou um serviço chamado OL (Operador logístico). 

O que é isso na prática ?

Você fecha um contrato com a empresa de delivery. E ela garante para você o número X de motoboy que vão ficar disponíveis na frente da sua loja ou do seu centro de distribuição. 

Isso não quer dizer que são os mesmos motoboys e sim que haverá por X horas por X dias Y motoqueiros na frente da sua loja. 

O que aconteceu após implantação do modelo OL? 

  1. Claro que o cliente encerrou parcialmente a operação interna e migrou a operação para essa nova empresa;  
  2. E tiveram um retorno muito rápido de percepção do cliente que o serviço melhorou e muito, principalmente no tempo de entrega. 

O resultado no cliente 

  1. A economia ficou em torno de pelo menos 50%, hoje a drogaria tem um custo fixo com a empresa de OL pelo serviço; 
  2. O que era despesa virou receita;
  3. Reduziu todos os riscos do passado e foca mais agora em oferecer um serviço de alta qualidade para o cliente; 
  4. Matou aquela preocupação que amanhã teremos 2 entregadores a menos na operação porque ficaram doentes ou teve um problema na moto. No modelo OL, a empresa deve disponibilizar fixo a quantidade contratada de entregadores, que não são nominais; 
  5. O tempo da entrega caiu em 50%. Considerando que o cliente está em uma capital com mais de 3 milhões de habitantes e com mais de +50 lojas.

Observe que aqui conseguimos unir o pouco do modelo próprio de delivery com  as vantagens da terceirização.

Percebemos que esse modelo só funciona bem quando você tem um volume significativo de entrega para compensar o custo fixo e disponibilidade dos OL. O nosso cliente faz +600 entregas por dia.

Analise as opções de mercado e valide qual se encaixa ao modelo da sua rede, nem sempre o que funciona para um vai também ter o mesmo resultado para outro. 

Top Delivery 

A empresa que fez o estudo e montou a operação para o nosso cliente é a TOP Delivery   eles conseguem atender e implantar a ferramenta em outras regiões do Brasil. 

Hoje além de drogarias eles já estão atendendo outros segmentos, como bancos, telefonia etc. 

A Top Delivery ajudou a rede de drogaria montar um projeto estratégico de logística de acordo a infraestrutura operacional da rede.

Em breve vamos convidar o diretor Daniel Batista para uma live e assim vamos falar mais sobre o assunto de forma mais detalhada. 

Abraço, 

Camilo Lopes

Você também pode gostar

Deixe um comentário

Quer mais conteudo
UsesCash?

Preencha o formúlario, e receba nosso conteúdo exclusivo

*Requerido